Bem-Vindos

terça-feira, 12 de outubro de 2010

A APARECIDA IDOLATRIA - MÃE DE TODOS OS IMORAIS, UMA EXPOSIÇÃO DE ROMANOS 1

INTRODUÇÃO

A Carta de Paulo aos Romanos foi estruturada, erguida, sob o alicerce seguro da salvação pela fé. No versículo 16 Paulo diz que não se envergonha de pregar o Evangelho; por quê? “Porque o Evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê...”. Essa declaração inicial de Paulo poderia muito bem fazer muitos a perguntarem: “Mas, porque eu preciso da salvação?”. Essa pergunta é fundamental, é essencial. A salvação antes de ser um deleite, um prazer, uma alegria; ela é principalmente uma necessidade. A salvação é uma necessidade da alma. É justamente nesse ponto que as religiões falham. As religiões procuram dar, apenas, um sentido para a vida. Procuram apresentar um guia, um mestre que seja tão somente um exemplo de conduta e ética. Mas nenhuma outra religião, a não ser o Cristianismo, enfatiza a necessidade de salvação. Mas, porque os homens, porque nós precisamos da salvação? O apóstolo responde essa pergunta nos três primeiros capítulos dessa carta. E a resposta é porque estamos sob a ira de Deus. Não é exatamente isso o que diz o versículo 18? Vejamos.


EXPOSIÇÃO


18 A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça;

Paulo responde com determinação porque precisamos da salvação: Porque estamos sob a ira de Deus. “Ira de Deus!!!?” Essa expressão parece soar estranho, parece uma incongruência, dissonante nota. Estamos acostumados a ouvir que Deus é amor, como Deus pode ficar irado? A ira de Deus é completamente diferente da ira humana. A nossa ira, via de regra, é concebida por explosões de ódio associada com vaidade, orgulho ou injustiça. A ira de Deus consiste na santa reação de Deus contra o pecado.  Deus é Santo, Santo, Santo e na sua santidade ele abomina o pecado.
QUAIS SÃO OS PECADOS QUE OS HOMENS COMETEM E QUE, POR ISSO, SÃO ALVOS DA IRA DE DEUS?

A impiedade e a perversão. A impiedade fala daquela perversão de natureza religiosa ou passo que perversão se refere àquilo que tem caráter moral. Ou seja: impiedade pode ser ilustrada pela idolatria e perversão pela imoralidade. Essa ordem, primeiro idolatria, depois imoralidade; é significativa. Significa que a idolatria é precursora da imoralidade. Uma coisa leva a outra. Isso é fato, é comprovado na história. Onde há Idolatria; há imoralidade. Por isso se vê, no ambiente da religião majoritária do nosso país, tantos casos envolvendo homossexualidade e  pedófilia.  O mundo greco-romano, na época de Paulo, era caracterizado pela idolatria e pela imoralidade. O que Paulo faz em Romanos 1 é uma descrição da coração do homem. E no centro do coração humano há idolatria e imoralidade.


19 porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhes manifestou. 20 Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis;

No final do versículo 18 Paulo diz que os homens deteram a verdade pela injustiça, ou seja rejeitaram a verdade. Qual verdade? A verdade que Deus existe e se revela. É isso que dizem os versículos 19 e 20. Os homens podem saber que Deus existe pelas coisas que foram criadas, pela natureza. Calvino dizia que “a natureza é um teatro da glória de Deus”. O que está escrito no Salmo 119. 1? : “Os céus proclamam a glória de Deus, e o firmamento anuncia as obras das suas mãos.” A criação pressupõe um Criador. Então, diz Paulo, os homens são indesculpáveis diante de Deus. Além disso, Deus se revela pela consciência dos homens. Em Romanos 2. 15 está escrito: “ Estes mostram a norma da lei gravada no seu coração, testemunhando-lhes também a consciência e os seus pensamentos, mutuamente acusando-se ou defendendo-se. Há uma lei gravada no coração, na consciência e nos pensamentos dos homens. Essa Lei é a certeza de que Deus existe! Por isso que em qualquer lugar do mundo que exista a presença do homem, também a uma religiosidade expressa. Seja num lugar mais ermo, mais distante, alguém está adorando alguma coisa.

21 porquanto, tendo conhecimento de Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças; antes, se tornaram nulos em seus próprios raciocínios, obscurecendo-se-lhes o coração insensato.

Devemos conhecer para glorificá-lo. Quanto mais conhecemos Deus, mais razões temos para glorificá-lo. Então, os homens tiveram o conhecimento de Deus, mas não o glorificaram como Deus. Por isso, diz Paulo seus próprios raciocínios se tornaram nulos, ou seja se valor. Deus criou a mente do homem para que lê pudesse conhecê-lo e glorificá-lo, se o homem não usa para isso a mente humana não tem nenhum propósito, nenhum significado, nenhuma valia. E o coração? Que é a sede dos sentimentos? Tornou-se obscuro, ou seja envolvido em trevas. Assim sendo: aquele que não glorifica a Deus tem uma mente nula e um coração obscuro, em trevas.

22 Inculcando-se por sábios, tornaram-se loucos

O Idólatra pensa que é um sábio, mas na verdade é um louco – sem juízo, alguém que perdeu a sua capacidade de pensar o certo. E o que eles fizeram?


23 e mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, bem como de aves, quadrúpedes e répteis.

Eles mudaram. No lugar de Deus colocaram: o próprio homem, aves, quadrúpedes e répteis.  Para quê?


25 pois eles mudaram a verdade de Deus em mentira, adorando e servindo a criatura em lugar do Criador, o qual é bendito eternamente. Amém!

Para adorar a servir. Aqui está o conceito bíblico de idolatria: É adorar e servir a criatura em lugar do Criador.


POR CAUSA DA IDOLATRIA DEUS ENTREGOU OS HOMENS A IMORALIDADE (Veja: vers. 24; 26; 27 e 28)
24 Por isso, Deus entregou tais homens à imundícia, pelas concupiscências de seu próprio coração, para desonrarem o seu corpo entre si; 26 Por causa disso, os entregou Deus a paixões infames; porque até as mulheres mudaram o modo natural de suas relações íntimas por outro, contrário à natureza; 27 semelhantemente, os homens também, deixando o contacto natural da mulher, se inflamaram mutuamente em sua sensualidade, cometendo torpeza, homens com homens, e recebendo, em si mesmos, a merecida punição do seu erro.28 E, por haverem desprezado o conhecimento de Deus, o próprio Deus os entregou a uma disposição mental reprovável, para praticarem coisas inconvenientes,


Deus entregou tais homens para a imoralidade. O que significa isso? Significa que Deus deixou tais homens viverem de acordo com o curso natural do seu coração. Por natureza o homem é inclinado para fazer o mal, aquilo que não agrada a Deus.

Charles Spurgeon, pregador batista do século 19, afirmou que o cristão deve sempre trazer nas mãos duas coisas:  Em uma delas, a Palavra de Deus; na outra, o jornal do dia. O jornal do dia para apresentar os fatos, e a Palavra de Deus para julgá-los. Quando nós abrimos as páginas do nosso “jornal do dia” percebemos que há uma palavra que se destaca: Corrupção. Mas, o que é corrupção?  Estamos acostumados a aliar o termo corrupção à desonestidade. Falamos: “Aquele político é corrupto!”.  Mas, a Palavra de Deus apresenta um aspecto mais amplo para o termo. Corrupção é quando obedecemos aos desejos, aos caprichos, às ordens, aos ditames do nosso coração. Quando isso acontece, inevitavelmente entramos em corrupção. Mas, o que há de errado com o nosso coração?  Há dois textos que apresentam os bastidores do nosso coração.  O primeiro deles está em Jeremias 17.9, diz: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto; quem o conhecerá?” Notem a força do texto! Jeremias está descrevendo o coração do homem como sendo desesperadamente corrupto. Podemos entender o texto da seguinte forma: se você tivesse a capacidade de perscrutar o meu coração você entraria em desespero devido o grau de malignidade que nele há. Da mesma forma eu entraria em desespero se sondasse o seu. Por isso Jeremias diz que nós não devemos confiar no nosso coração, pois ele é enganoso, não é confiável, é corrupto!  O segundo texto está no Novo Testamento. Em Mateus 15.18-19. No contexto os fariseus estavam censurando os discípulos de Jesus que comiam sem lavar as mãos, visto que os fariseus haviam inventado mais uma regra de purificação. Jesus os repreende e aborda sobre a corrupção do coração humano dizendo o seguinte: “Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que contamina o homem. Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias”.  Assim é o nosso coração! E diz mais:
29 cheios de toda injustiça, malícia, avareza e maldade; possuídos de inveja, homicídio, contenda, dolo e malignidade; sendo difamadores, 30 caluniadores, aborrecidos de Deus, insolentes, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais, 31 insensatos, pérfidos, sem afeição natural e sem misericórdia.

Repito esse é a nossa descrição. Nós somos exatamente assim!
32 Ora, conhecendo eles a sentença de Deus, de que são passíveis de morte os que tais coisas praticam, não somente as fazem, mas também aprovam os que assim procedem.

Talvez, você, movido por uma ira incontrolável contra alguém já desejou a morte dessa pessoa. Assim também é em relação a Deus.Só que Deus não apenas desejou a morte, ele decretou a morte.Diz o texto em Gênesis: “A alma que peca essa morrerá”. Há uma sentença de morte sobre nós.


APLICAÇÃO

- A idolatria é o pecado que afronta os Céus e que desperta a justiça de Deus. Em ambientes idólatras, via de regra, a imoralidade reina soberanamente. O que se pode esperar de um país que decreta feriado nacional em homenagem a sua padroeira? Bom, a resposta é vista nas ruas dessa nação: pedofilia, homossexualismo, adultério, fornicação... enfim – a aparecida idolatria é mãe de todos os imorais!

Um comentário:

Arnaldo Ribeiro disse...

O SÉTIMO DIA
(DN.4.2) Pareceu-me bem fazer conhecidos os sinais e maravilhas que Deus, o Altíssimo, tem feito para comigo,; (EF.2.7) para mostrar nos séculos vindouros a suprema riqueza da sua graça em bondade para conosco em Cristo Jesus; (1CO.15.45) pois assim está escrito:
(GN.2.3) – E ABENÇOOU DEUS O DIA SÉTIMO, E O SANTIFICOU; PORQUE NELE DESCANSOU DE TODA A OBRA QUE, COMO CRIADOR, FIZERA: (AR.85.6)
E o que o Senhor quer dizer com as 85 letras e 6 sinais acima é isto:
SOU O ESPÍRITO QUE DESCEU DO CÉU, CRIANDO A SUA FÉ; E FAÇO SANTO O QUE É BATIZADO COM NOME DE ARNALDO RIBEIRO: (IL.85.6)
(Lc.12.50 – Tenho, porém, um batismo com o qual hei de ser batizado; e quanto me angustio até que o mesmo se realize; (IS.21.16) porque assim me disse o Senhor: (1RS.18.31) Israel será o teu nome, (LS..9.6) porque ainda que algum seja consumado entre os filhos dos homens, se estiver ausente dele a tua sabedoria, será reputado como nada.(LC.4.21) Hoje se cumpriu a escritura que acabais de ouvir: (LC.6.5) O Filho do Homem é Senhor do sábado:
E agora José? Ou melhor, Chico?...