Bem-Vindos

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

O QUE DEUS UNIU NÃO SEPARE O HOMEM!!! (???????)

Alguns pontos salintes desse demostrativo gráfico merecem considerações:

O segmento evangélico na pesquisa, entre pentecostais e tradicionais, somam 24,7% de mulheres divorciadas. Esse número é alarmante! Notem o drama nos arraias evangélicos: proporcionalmente de 100 casamentos de mulheres evangélicas quase 25 acabam em divórcio.

O questionamento principal que inexoravelmente vem à tona é: qual a causa? Você, amigo leitor, seria capaz de identificar alguns motivos?

Antes de apresentar a minha opinião eu gostaria que você contribuisse com a sua preciosa opinião. É com você! Obrigado.

3 comentários:

josenildo santos felix disse...

oi amado irmão!!sou o rev josenildo santos felix pastor da igreja presbiteriana em propriá-se. na minha opinião os motivos que levam as pessoas se divorciarem são: a vardadeira compreensão da palavra de jesus que diz: a quem Deus juntou, não separe o homem. parece que esse mandamento não tem sido levado em consideração por parte dos filhos de Deus. outro motivo é a falta de criatividade do casal. perece que quanto casa não precisa fazer mais nada. isso é um tremando engano. muitos descambam para o marasmo no casamento, ou seja o casamento vira uma rotina. também outro motivo é a falta de comunicação por parte do casal. o que temos observado, é que os casais estão vivendo no mesmo teto, mas parecem que são pessoas estranhas. são muitos fatores... se eu fosse ennumerar daria um livro,mas esse não é o meu objetivo, estou apenas emitindo a apenas minha humilde opinão. sou grato pela liberdade de poder me expressar. obrigado.

josenildo santos felix disse...

oi amado irmão!!sou o rev josenildo santos felix pastor da igreja presbiteriana em propriá-se. na minha opinião os motivos que levam as pessoas se divorciarem são: a falta da vardadeira compreensão da palavra de jesus que diz: a quem Deus juntou, não separe o homem. parece que esse mandamento não tem sido levado em consideração por parte dos filhos de Deus. outro motivo é a falta de criatividade do casal. perece que quando casa não precisa fazer mais nada. isso é um tremando engano. muitos descambam para o marasmo no casamento, ou seja o casamento vira uma rotina. também outro motivo é a falta de comunicação por parte do casal. o que temos observado, é que os casais estão vivendo no mesmo teto, mas parecem que são pessoas estranhas. são muitos fatores... se eu fosse ennumerar daria um livro,mas esse não é o meu objetivo, estou apenas emitindo a apenas minha humilde opinão. sou grato pela liberdade de poder me expressar. obrigado.

Prof. Ângelo Almeida disse...

Observando a palavra "separação" - pensei que como evangélico devemos nos separar do mundo e sua concupsciência, e devemos nos separar para um único propósito - adorar a Deus, em espírito e em verdade. Porque "Jesus busca os verdadeiros adoradores".

Continuo analisando semanticamente, minunciosamente a palavra "separação", e me questiono: houve separação de fato entre o desejo de seguir e ser servo de Jesus nestes cônjuges que, "se dizem" - SEPARADOS PARA SERVIR A JESUS

Sinceramente, muitos casamentos - inclusive entre evangélicos - são projetados não para "servir a Jesus", são formados para, em alguns casos para servir o desejo carnal provocado por um bombardeiro da sexualidade que a mídia promove através da TV, Internet e outros meios de comunicação.

Continuo a pensar sobre "separação", e entendir que nem sempre "Deus uniu" alguns casais que estão na Igreja, porém, ainda não dão frutos dignos que refletem os ensinamentos do mestre Jesus. O que existe, de fato, é uma imaturidade espiritual nos frequentadores da Igreja Evangélica, porque esquecem - "a célular mater da Igreja é a família", não existe Igreja sem família, pode, existir, família sem Igreja, mas a razão da existência da Igreja É A FAMÍLIA.

Quando nos referimos a FAMÍLIA, entramos em um campo delicado, levando em consideração que os cônjuges são de formação diferente, personalidades divergentes, porém, houve entre eles uma COMUNHÃO, algo em comum aconteceu, acredito que não fora, somente, atração sexual, mas, uma sintonia de idéia, de projeto de vida, de razão de existir. Logo se ambos são "evangélicos", mulher e homem - deixam de lado suas mazelas da alma, e centraliza as suas vidas e sua família no SERVIR A JESUS. Então, não é o que pensa a mulher e seus movimentos de respeito e integridade ao corpo, mas, também, um andar um pensar em comum - onde um abre mão do seu "achismo" e centraliza, novamente, em JESUS O QUE FARIA NO MEU LUGAR. Como ele gostaria que eu agisse com o meu cônjuge, essa, é o caminho da felicidade.

Por fim, - valorizar a vida, é tão curta, que, somente a renovação da presença genuína do Espírito Santo, em uma intimidade e sensibilidade a sua presença é que poderá solucionar tantas contradições.

Quanto ao mais - SE JESUS É O CENTRO DO MEU CASAMENTO morrei sem ME DIVORCIAR, porém, se um dos cônjuges não renunciar a si mesmo, não para alimentar o pecado do outro, mas para eliminar o pecado através do reconhecimento de que JESUS É A RAZÃO MAIOR DE SUPORTAR UNS AOS OUTROS.